Gary Chartier: A Consciência de um Anarquista

(Caso você apenas deseje fazer download do livro, pule para o final ou clique aqui.) Nessas férias de julho eu consegui um breve alívio da faculdade para dedicar meu tempo a algo um pouco diferente do que estou acostumado. Pois bem, com tal tempo livre pude terminar de traduzir e editar um livro. Ou melhor, … Continue lendo Gary Chartier: A Consciência de um Anarquista

“As Limitações dos Cortes de Preços Locais como uma Barreira de Entrada”, de Wayne A. Leeman

Traduzido por Schwartsz. [Retirado de Journal of Political Economy 64 (1956): 329-334. Disponível aqui.] Os críticos da economia de livre mercado frequentemente afirmam que a liberdade de entrada seria difícil, senão impossível, de se manter. Em uma economia de mercado nominalmente livre, argumentam eles, uma empresa menor que busca entrar e se expandir frequentemente enfrentará … Continue lendo “As Limitações dos Cortes de Preços Locais como uma Barreira de Entrada”, de Wayne A. Leeman

“Defensores dos Mercados Libertos Deveriam Abraçar o ‘Anticapitalismo’”, de Gary Chartier

Traduzido por George Agrippa Soros. [Retirado do capítulo 9 de Gary Chartier & Charles Johnson. (2011). Markets Not Capitalism: Individualist Anarchism Against Bosses, Inequality, Corporate Power, and Structural Power. Livro disponível aqui. Uma versão diferente do artigo está disponível aqui.] [N. do T.]: William Gillis, em seu “The Freed Market”, propõe uma diferenciação entre free … Continue lendo “Defensores dos Mercados Libertos Deveriam Abraçar o ‘Anticapitalismo’”, de Gary Chartier

“Antipsicologismo na Economia: Wittgenstein e Mises”, de Roderick T. Long

Traduzido por George Agrippa Soros. [Retirado de The Review of Austrian Economics 17: 345–369 (2004). Disponível aqui.] ABSTRACT: O argumento de Ludwig Wittgenstein a favor da conclusão de que tudo o que conta como pensamento deve incorporar princípios lógicos pode ser igualmente empregado para mostrar que tudo o que conta como ação deve incorporar princípios … Continue lendo “Antipsicologismo na Economia: Wittgenstein e Mises”, de Roderick T. Long

“Seguir Regras, Praxeologia e Anarquia”, de Roderick T. Long

Traduzido por George Agrippa Soros. [Retirado de New Perspectives on Political Economy 1 (2): 36-46 (2006). Disponível aqui.] ABSTRACT: O paradoxo de seguir regras (rule-following paradox) de Wittgenstein tem importantes implicações para dois aspectos da teoria austríaca. Primeiro, ele torna possível conciliar as abordagens misesiana, rothbardiana e hermenêutica da metodologia; segundo, ele fornece uma maneira … Continue lendo “Seguir Regras, Praxeologia e Anarquia”, de Roderick T. Long

“A Falácia da Equação de Troca”, de Murray N. Rothbard

Traduzido por Guilherme Sena. [Retirado do capítulo 11, seção 13 de Man, Economy, and State with Power and Market.] A base sobre a qual explicamos o poder de compra do dinheiro e as mudanças e consequências dos fenômenos monetários tem sido uma análise da ação individual. O comportamento dos agregados, como a demanda agregada por … Continue lendo “A Falácia da Equação de Troca”, de Murray N. Rothbard

“Algumas reflexões sobre The Sensory Order de F.A. Hayek”, de Bruce Caldwell

Traduzido por Guilherme Ribeiro. [Retirado de Caldwell, B. Some Reflections on F.A. Hayek's The Sensory Order. Journal of Bioeconomics 6, 239–254 (2004).] ABSTRACT:[1] Embora F.A. Hayek seja conhecido principalmente por seu trabalho em economia, ele também fez contribuições, positivas e críticas, para o campo da psicologia. Sua peça mais importante no último campo é seu … Continue lendo “Algumas reflexões sobre The Sensory Order de F.A. Hayek”, de Bruce Caldwell

“A Falácia Central da Economia Keynesiana”, de Robert F. Mulligan

Traduzido por Fabrício.[Retirado de https://mises.org/library/central-fallacy-keynesian-economics-0.%5D A política keynesiana de estímulo é, em algum sentido, justificável? A literatura substancial argumenta que ela é e, além disso, tem sido eficaz e continuará sendo necessária no futuro, embora tenha sido provada repetidamente ser ineficaz, tanto empiricamente quanto politicamente. No entanto, continua sendo a pedra angular da política econômica … Continue lendo “A Falácia Central da Economia Keynesiana”, de Robert F. Mulligan

“Juros, Roundaboutness e Ciclos Econômicos: um estudo empírico”, por Mark Gertsen

Traduzido por Fabrício.[Retirado de https://mises.org/library/interest-rates-roundaboutness-and-business-cycles-empirical-study.%5D [Nota]: Para obter melhor compreensão do artigo abaixo, recomendo uma leitura prévia sobre a Macroeconomia Austríaca da Estrutura de Produção. A influência das taxas de juros na estrutura de produção da economia é um conceito-chave dentro da teoria austríaca. Em particular, os bancos centrais que estabelecem taxas de juros são … Continue lendo “Juros, Roundaboutness e Ciclos Econômicos: um estudo empírico”, por Mark Gertsen

Sobre as expectativas na Teoria Austríaca dos Ciclos Econômicos

O argumento padrão da teoria das flutuações cíclicas de Mises-Hayek, também conhecida como Teoria Austríaca dos Ciclos Econômicos, postula um aumento nas reservas bancárias, criadas por um banco central, que impõem uma barreira entre a poupança nominal disponível para investimento e a poupança real com base nas preferências temporais dos participantes do mercado. Esse aumento … Continue lendo Sobre as expectativas na Teoria Austríaca dos Ciclos Econômicos